4 fatores que influenciam a execução do planejamento estratégico

Hoje, basicamente existem dois grupos de empresas ou organizações, as que investem muito tempo e dinheiro em planejamento estratégico e as que mal sabem exatamente o significado da palavra.



Um bom planejamento estratégico pode garantir que a empresa erre menos no decorrer dos meses.


Em tempos de economia apertada, fica fácil identificar quem fez a “lição de casa” e quem não fez. O planejamento pode mostrar com antecedência a necessidade de tomadas de decisão a fim de minimizar os impactos das adversidades do mercado, por exemplo.

O grande problema de muitos gestores é que acreditar que o sucesso da organização depende da excelência de um bom planejamento, quando na verdade o segredo não está no planejamento em si, e sim na capacidade que a organização tem de executá-lo. Conheço várias empresas que tem um planejamento extremamente profissional, utilizam-se de métodos e modelos incríveis, mas os resultados destes planejamentos na prática beiram a mediocridade.

A execução é a parte mais importante e crucial do planejamento. Existe uma frase popular que diz “papel aceita tudo”, esta máxima tem um grande fundo de verdade quando se trata de planejamento, por isso a grande pergunta que um grupo de gestores ou executivos deve fazer não é se o planejamento está perfeito, mas sim se a capacidade de execução dos colaboradores da empresa é suficiente para aquele planejamento.

A Capacidade de execução não está relacionada apenas às habilidades e conhecimentos da equipe, está diretamente relacionada a quanto essa equipe está engajada na execução deste planejamento.


4 fatores que influenciam no engajamento de equipes para execução de planejamentos:

  1. Capacidade dos gestores em liderar suas equipes em direção a execução da estratégia, ou seja, habilidade de liderança será fundamental para o gestor, a fim de direcionar a equipe no rumo certo. Conquistar o engajamento da equipe para trabalhar como um time será crucial.

  2. Cada membro do time deve saber exatamente qual a sua parcela de responsabilidade para contribuir para o todo, ou seja, as tarefas e ações de cada um devem estar muito claras e definidas para evitar mal entendidos acerca de papéis e responsabilidades.

  3. Definir as ações claras e concretas que cada departamento envolvido no planejamento deverá realizar a fim de levar o time em direção à execução do planejamento.

  4. Reunir-se constantemente e de preferência semanalmente com os responsáveis por cada área para de avaliar o nível de eficácia da execução. A estratégia é fundamental, mas sem execução estratégia nenhuma fará sentido. Até porque como diria Lúcio Costa: “a única coisa do planejamento é que as coisas nunca ocorrem como foram planejadas”.