People Analytics: mais que uma ferramenta, uma forma assertiva de fazer gestão

Quantas vezes lemos termos estrangeiros e não entendemos do que se trata? Com certeza você já leu a expressão “People Analytics”, mas sabe qual o real significado dessas duas palavras que se popularizaram dentro das empresas? “People Analytics” é o reconhecimento de que os colaboradores são o mais valioso recurso de uma empresa e que, portanto, é necessário mensurar para entender o que os torna motivados, produtivos e felizes no ambiente de trabalho.


Com a transformação digital, a gestão de pessoas mudou. O “People Analytics” é representado por essa mudança, ou seja, atualmente as empresas fazem coleta de dados e analisam o comportamento dos colaboradores com o intuito de contribuir para a tomada de decisões dentro das organizações, se antecipando aos fatos e aprimorando as estratégias. Essa mudança na gestão ajuda líderes e equipes de RH a engajar os colaboradores e principalmente, escalar pessoas certas nas funções corretas dentro da empresa.


De forma simples e coloquial o People Analytics é a ciência de analisar dados, e tomar decisões de investimentos sejam eles treinamentos, melhorias de processos, adequação de equipes e etc. com foco em corrigir a performance desejada.


E como identificar o “People Analytics” dentro das organizações? Responda rapidamente:

  • A empresa acompanha as vendas e os resultados obtidos com campanhas de marketing?

  • Trabalham com CRM ou software de gestão?

  • Sua fábrica faz programação e controle de produção (PCP) ?


Se sim, o People Analytics já faz parte da cultura da empresa.


Mas por qual motivo as empresas começam a aplicar o “People Analytics”? O motivo está ligado a algum impedimento que esteja bloqueando resultados melhores. Dentre os principais problemas que as empresas desejam solucionar, ou mesmo prever para investir na precaução, destacam-se: baixa produtividade, falta de vendas, baixo engajamento dos profissionais em geral, dificuldade de retenção de talentos, fraude e queda na satisfação dos clientes.



A evolução e as previsões para o futuro


Como já disse anteriormente, a transformação digital teve grande importância para que essa cultura fosse inserida dentro das empresas. Se fizermos um comparativo entre o início do século XXI e os dias atuais, iremos notar que o processo era caro e demorado. No entanto, atualmente cada vez mais os dados são armazenados na internet (tornando essas informações acessíveis). Assim, esse avanço fez com que o People Analytics tenha se tornado uma ferramenta presente dentro das organizações.


No começo do ano, o LinkedIn publicou o relatório ‘Global Talent Trends 2020 – 4 trends changing the way you attract and retain talent’. A pesquisa aponta que o People Analytics será a nova competência do RH. O relatório afirma que entender de análise de dados está se tornando uma habilidade essencial para qualquer profissional. Em números:


Houve um aumento de 242% de especialistas de RH que possuem habilidades nesse campo nos últimos 5 anos;

73% das empresas entrevistadas confirmam que planejam investimento na área de análise de dados de pessoas nos próximos 5 anos;

Metade dos colaboradores afirmam que sua empresa faz um bom trabalho em manter os dados de forma ordenada e assertiva;

Apenas 29% dos colaboradores afirmam que sua empresa consegue tirar vantagem dos dados coletados como forma de insights.

Esses dados deixam claro que as organizações têm se esforçado para criar bancos de dados mais dinâmicos que ajudem na gestão das equipes.


O People Analytics está revelando questões que antes eram invisíveis. Agora, munidos da ferramenta, as empresas podem cruzar dados produzidos internamente ou externamente e gerar indicadores de produtividade que em um passado não tão distante seria impossível de imaginar.


Antes, as habilidades eram o centro das discussões sobre gestão. Agora, com a transformação digital e a análise em profundidade de dados de variadas fontes, fala-se sobre hábitos, comportamentos e padrões que as pessoas bem-sucedidas adotam.


Como faço para implantar o People Analytics em minha empresa?


Antes é importante que você saiba: mudanças podem gerar um certo desconforto, você poderá enfrentar uma certa resistência, uma vez que um sistema significará para seus colaboradores uma nova forma de fazer as coisas (saírem da zona de conforto). Então como convencer sua equipe a incorporar o People Analytics?


Seja democrático. Muitas vezes a resistência acontece porque as pessoas não entendem como funcionam ferramentas analíticas. Para evitar isso envolva os colaboradores, ouça suas opiniões e sugestões. Se for necessário, faça treinamentos e troca de experiências.

E por qual motivo devo desenvolver essa cultura dentro da empresa?


Sua empresa com certeza possui objetivos, sejam eles financeiros: aumentar o faturamento, ter lucro ou reduzir despesas. Na gestão: diminuir a rotatividade, melhorar a performance das equipes, aumentar o engajamento e satisfação dos colaboradores. Independente do seu objetivo, implementar uma área de People Analytics pode colaborar para a criação de um ambiente transparente e objetivo. Através da análise dos dados coletados e das medidas que forem adotadas, a diretoria e os colaboradores podem se comunicar e caminhar juntos em prol dos objetivos da empresa.


Não são as descobertas que tornam sua empresa única, mas o que é feito com essas descobertas. Sendo assim, tal reflexão nos faz entender que o People Analytics é mais que uma ferramenta: é uma cultura que ajuda líderes de todas as partes a fazerem uma gestão de pessoas mais assertiva.