Pandemia: Como readequar marcas e estratégias

A pandemia antecipou diversas previsões que já estavam sendo mapeadas por pesquisadores nos últimos anos, e está destinada a criar uma evolução significativa nas crenças e nas atitudes dos consumidores. Toda alteração adiantará mudanças estratégicas criando um novo cenário para a sociedade de forma geral.

Em tempos de crise, as pessoas esperam que as empresas hajam com rapidez mas também com confiança, responsabilidade e sensibilidade. Os futuros desafios para as marcas e empresas agora ganham um novo ingrediente: A pandemia. Dentro deste novo ingrediente todos os meios deverão ser reestruturados e, pensando a longo prazo, mantidos relevantes daqui em diante.

Vamos listar a seguir o que a WGSN (Worth Global Style Network), empresa de pesquisas de tendências do mundo existente há 21 anos, destaca como desafios e inovações relevantes para o momento atual:

A gentileza será vista como nova moeda de troca e um exemplo eficaz, mas nada atual, é da empresa sueca Volvo, quando em agosto de 1959 criou um dos itens de segurança mais importantes de todos os tempos: o cinto de três pontos. A invenção foi disponibilizada gratuitamente a todas as marcas fabricantes do mundo para que a segurança fosse priorizada. Durante seus 60 anos de existência, a Volvo estima que o cinto de três pontos já salvou aproximadamente um milhão de vidas e reduziu em 45% o risco de morte em caso de acidente.

É fundamental estar posicionado para além de seus produtos e responder a atual demanda, por isso esteja aberto a mudanças, crie comunidades, una pessoas, transmita veracidade e contribua com ofertas significativas.