IBGL BRASIL realiza fórum de governança para prefeituras no Noroeste do PR

No dia 3 de setembro, o CEO do IBGL BRASIL, Fabiano Zanzin esteve na cidade de Paranavaí na sede da AMUNPAR (Associação dos Municípios do Noroeste Paranaense), realizando o fórum de governança para prefeituras com o objetivo de compartilhar informações a respeito da modernização da administração pública.


Futuramente, prefeituras deverão se adequar a uma nova e moderna visão da Administração Pública, emergente e atual em todas as esferas de governo. Com isso, o que se espera é que as práticas na gestão sejam mais eficientes e o foco seja em aumentar a produtividade, priorizando a agilidade e o cumprimento daquilo que foi proposto a ser entregue ao cidadão no início do plano de governo e aos programas de governo de cada secretaria da administração pública.


Pensando nessa adequação, o fórum serviu para apresentar aos gestores o Método 4 Leis®, ele contribui diretamente nas melhorias da prestação dos serviços públicos, no engajamento dos servidores, além da otimização dos recursos humanos, materiais e financeiros.


Por meio dele as metas de cada setor da prefeitura ficam mais claras e mensuráveis para cada servidor, facilitando assim a execução e gerenciamento da mesma. Além disso, cada colaborador irá desempenhar suas atribuições de forma efetiva.


Esteve presente no fórum o presidente da AMUNPAR, Julio Cesar da Silva Leite que é o atual Prefeito da cidade de Terra Rica - PR, onde o Método 4 Leis® está a todo vapor. - “A grande dificuldade do gestor público é planejar, e fazer com que a sua equipe entenda esse planejamento. O método veio para nos conectar uns com os outros, nos ajudando em cada etapa da administração pública. Não é mais apenas um secretário que pensa, mas sim o que toda a administração pensa e para onde ela quer caminhar”, completou Leite.


Essa nova adequação foi pensada para que os resultados apareçam, ou seja, não basta criar um bom plano de governo, é necessário que tudo saia do papel e que os resultados sejam visíveis. Uma boa administração, é reflexo de uma gestão competente, e para que isso aconteça é necessário buscar ferramentas que possam auxiliar durante o processo.


O Tribunal de Contas da União – TCU, publicou um documento denominado ‘Referencial Básico de Governança Organizacional para organizações públicas e outros entes jurisdicionados’, a fim de aprimorar a governança e a gestão dentro do setor público.


O documento do TCU traz em seu escopo como a espinha dorsal, a importância de se trabalhar a Governança e define que é necessário envolver três atividades básicas a serem realizadas pelos seus responsáveis, são elas:


  • “Avaliar” com fundamento em evidências, o ambiente, os cenários, as alternativas, o desempenho e os resultados atuais e os almejados. É necessário avaliar para poder direcionar.

  • “Direcionar” priorizar e orientar a preparação, a articulação e a coordenação de políticas e de planos, alinhando as funções organizacionais às necessidades das partes interessadas (usuários dos serviços, cidadãos e sociedade em geral) e assegurando o alcance dos objetivos estabelecidos. O direcionamento dá os critérios para o monitoramento.

  • “Monitorar” os resultados, o desempenho e o cumprimento de políticas e planos, confrontando-os com as metas estabelecidas e as expectativas das partes interessadas.


Esse novo modelo de Administração Pública gerencial é voltada para um controle de resultados na atuação estatal, ou seja, a partir disso, os atos da administração devem ser realizados com a maior qualidade, competência e eficácia possíveis em prol da sociedade.


O documento divulgado pelo TCU sugere que para aplicar a Governança são necessárias algumas ações e implementações ligados aos mecanismos de liderança, estratégia e controle.


E como o Método 4 Leis® pode ajudar?


A Liderança neste caso é representada dentro do Método 4 Leis® a partir do Workshop de Implantação que define a Meta Fundamental Global (objetivos do plano de governo) e dá protagonismo aos servidores, uma vez que estes participam com sugestões e estratégias para cumprirem os objetivos das áreas.


Já a Estratégia sugerida pelo TCU é obtida através da Lei nº 2 do Método, onde são definidas as ações estratégicas ou planos de ações. Estes planos por sua vez, são atrelados com cada meta estabelecida pela liderança para o cumprimento das metas de cada secretaria, definidas no workshop pela Governança.


O Controle é contemplado pela Lei nº 3, trata-se da utilização dos indicadores de desempenho (placares), também conhecidos em outros conceitos por KPI (Key Performance Indicator).


Já a Lei nº 4 refere-se a implantação de um fórum semanal chamado de comitê de gestão, onde as equipes e gestores farão os ajustes necessários para garantir a eficácia do trabalho em equipe bem como garantir o alinhamento estratégico da gestão em tempo real.



O que garante um modelo de governança moderno e de acordo com as reais diretrizes da lei orgânica, é a possibilidade de correção de rotas e estratégias a fim de garantir a eficácia na execução do plano de governo.


Por esse motivo, o que se espera é que, ao serem disponibilizadas orientações mais atualizadas e ao reforçar o incentivo na adoção de melhores práticas, com a implantação do Método 4 Leis® dentro da gestão pública poderemos contribuir para aperfeiçoar o desempenho dessas instituições.


O Instituto Brasileiro de Gestão e Liderança está comprometido e engajado no auxílio à prefeituras e órgãos públicos, o foco é ajudar líderes e gestores públicos a modernizar a cultura de gestão.